quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Entristece-me que não vivamos para sempre. Entristece-me achar que não terei tempo para te amar deste jeito. Quente, doce, suave, sublime e ao mesmo tempo tão fugaz... Entristece-me a ideia de um dia perder o teu sorriso. De não ver o brilho que dele emanas quando é o teu coração que fala. Quando vivíamos apaixonados, juntos no mesmo cadeirão, olhando as mesmas estrelas, tinha a mesma sensação. De que a vida toda não seria o quanto bastasse para te amar tanto como um dia mereceste. És a pele que me reveste... Mesmo depois de toda a solidão que me ofereceste e de todos os dias de chuva que me deste desde que partiste ainda sorrio tanto por ti... Ainda sou feliz tanto por ti. Talvez porque sei que foste verdadeiro, que um dia chegaste à minha vida e plantaste o teu sorriso e salvas-te a minha pele. Talvez porque sei que foste o amor que nasceu dentro de mim. Mesmo sem ti, depois de tantos dias a guardar o cheiro que emanava das tuas camisolas no ar, de tantos segundos a tentar embrenhar-me e penetrar-me nas memórias que invadiam cada pedaço do meu coração, e mesmo depois de me teres deixado com as promessas nas mãos, ainda sorrio por ti. Sobre ti, de ti, por ti, pelo que foste e pelo que fomos, os dois, juntos no mesmo cadeirão. Foste o amor que viveu em mim. E entristece-me a ideia de uma dia ter que deixar de ser feliz por te perder... Estar sem ti é diferente de te perder. Porque agora, mesmo não te tendo, ainda sinto o cheirinho a amor que cozinhavas tão bem em ti. Mas quando o tempo acabar... Quando o tempo acabar, morrerei e perderei os segundos que ainda faltavam para te amar. Amar-te assim tanto, querer-te assim desta forma, desejar-te tão desta maneira, faz-me querer viver para sempre. Para te viver. Para te cheirar. Para te desejar. Para te abraçar. Para te sorrir. Para te lembrar. para me renascer. Cada vez mais, um bocadinho sempre mais nos segundos que a vida passa e não volta atrás. Desejava que vivêssemos para sempre para te amar para sempre também. Estar sem ti é diferente de te perder... É estar sem fogo mas continuar a arder. Sem ar mas continuar sempre a respirar...

6 comentários:

  1. não tenho palavras. és maravilhosa, Marianinha.

    ResponderEliminar
  2. 'Talvez porque sei que foste verdadeiro, que um dia chegaste à minha vida e plantaste o teu sorriso e salvas-te a minha pele.'
    suave e perfeito. também tu és uma princesa.

    ResponderEliminar