quarta-feira, 30 de março de 2016

Na sombra, na luz e no escuro


Quando o teu corpo sorri. Na sombra do sorriso de alguém.
Quanto o teu corpo sorri... E tudo o que és são segundos que não sabes descrever. Segundos que sabes que viverão eternamente no teu bolso. Do coração. Do lado mais bonito da vida. Segundos em que o teu corpo treme para sempre. E te paralisam as forças ao mesmo tempo que lhes dão uma força inquebrável e indestrutível. Sabes que a vida te corre pelo sangue... Quando todo o teu corpo sorri. E a tua mente voa. Para além dos momentos que pensaste que seriam o limite. Para além das fracções de vozes que sempre te disseram que devemos voar, com os pés na terra. Nesse momento sabes que nem os teus pés nem as tuas pernas sustentam o chão que pisas. Porque te lembras que quando o teu corpo sorri é noutra dimensão que pisas. Naquela em que vale a pena viver. Naquela que sabes onde serás eterna. Nos segundos que te ganham a vida toda. Que te puxam pelos corredores fora e te desamarram o cabelo. Que te vestem das flores mais bonitas e te soltam na efemeridade da vida.
Quando o teu corpo sorri. Através do sorriso de alguém. Através dos limites que ultrapassas sem quase te aperceberes. Através do calor que te sobe pelo corpo. Pelas borboletas que voam pela palma das tuas mãos. Pela vontade que subitamente te nasce em cada célula que é dona de ti.

A vida corre. Tão depressa.
Mas é tão devagar que a consegues saborear... Atento a dizer-te que é de a levares tão devagarinho que mais depressa agarras a vontade de a viver. De saborear os momentos que estão por detrás de tudo aquilo que te prende. A luta para seres o que és. Para descobrires que nunca o saberás mas que... Só por o quereres saber já podes ser tudo o que queres.

Quando o teu corpo sorri. Seja pelo que for. Quando a vida vale a pena, 
Quando o teu corpo sorri. Na sombra, na luz e no escuro do sorriso de alguém. De alguma coisa.

Quando ganhas vontade de seres mais do que és. Lembra-te, sempre, que são os segundos que nunca deixarão os teus sonhos se apagarem. Principalmente aqueles que ganhas, e nunca perdes, quando o teu corpo sorri...


3 comentários:

  1. O nosso corpo sorri e faz-nos andar leves, felizes. Que o nosso corpo nunca deixe de sorrir à vida.

    ResponderEliminar