domingo, 12 de fevereiro de 2012

Não que não me lembre de ti mas apenas porque dói lembrar que um dia partiste esquecendo que as minhas asas ainda eram tuas. Não que não sinta ainda a tua pele a tocar na minha debaixo dos cobertores da minha cama mas porque dói aperceber-me que sou só eu agora quer faça frio ou sol neste espaço que deveria ser de nós dois... Não porque esqueci como te amar mas porque dói saber que amo o vazio numa presença que já não existe mais... Não que não sinta o cheiro do teu sabor nas minhas entranhas mas apenas porque dói saber que ele ainda cá está em mim quando tu fugiste para longe de tudo o que um dia foi teu, meu e nosso... Não porque já não sonhe contigo e sorria por me lembrar de ti mas apenas porque dói sonhar sem ti em sorrisos que um dia nos fizeram inteiros ou de ninguém... Não que não me lembre de como deslizavas a tua mão pelo meu corpo e descobrias todos os meus desejos e loucuras mas apenas porque dói saber que ninguém me encontra tão bem como tu me encontravas. Isso: porque já ninguém me encontra como tu me encontravas. E porque me sinto a perder do mundo quando alguém chama e eu não ouço, quando alguém prende a minha mão e eu deslizo... Deixei-me levar por ti e agora que desamarraste as cordas que um dia foram o nosso sustento deixo-me levar apenas pela corrente que o vento dá às cores cinzentas do meu mundo. Deixei-me levar por ti e agora sinto-me mais presa num mundo sem ti à medida que o tempo passa e a tua certeza não volta... Só incerteza e saudade de te ter tido um dia no meu sangue e hoje apenas te ter nos interstícios que percorrem a minha pele.. Tão dura que pode ser a perda de um amor... de um amor como o teu que fez tudo de mim... Um dia disse-te que vivia para amar e descrevi-me melhor que ninguém. Hoje não é porque não te sinta mais como a forma de ser inteira para alguém mas é apenas porque dói saber que esse alguém não é alguém. É ninguém.... Agora que partiste e cortas-te as asas que um dia me fizeram voar junto de ti... agora sem ti, perdidas, sem ti, sem mim, sem o mundo que costumava ser o meu mundo, agora apenas restos do que esqueço na mentira dos meus dias, na mentira inteira de nunca esquecer nada... de ti

15 comentários:

  1. "a amizade é um dos melhores sentimentos do mundo, cheio de amor isto aqui!" - é realmente um dos melhores sentimentos do mundo, e para mim a amizade está em primeiro lugar, depois vem o amor. Muito obrigada Marianinha linda.

    ResponderEliminar
  2. É tão mesmo uma das maiores dores que congelam o peito, é tão mesmo, ó Marianinha. Obrigada pela força, tens um coração mesmo lindo e escreves sempre tão imensamente bem, completo-me!

    Beijinhos:)

    ResponderEliminar
  3. és tão especial, tens tanto amor dentro de ti.

    ResponderEliminar
  4. "Não porque esqueci como te amar mas porque dói saber que amo o vazio numa presença que já não existe mais." tal como o comentário anterior diz,tens tanto amor dentro de ti

    ResponderEliminar
  5. revejo-me sempre e sempre nas tuas palavras..esta é a prosa que não consigo atingir..simplesmente magnífica
    "porque já ninguém me encontra como tu me encontravas"

    ResponderEliminar
  6. deixas-me sempre tão feliz com as tuas palavras.

    ResponderEliminar
  7. obrigada, obrigada mesmo. é o mundo saber que achas isso tudo <3

    ResponderEliminar
  8. os teus comentários são uma imensidão de carinho <3

    ResponderEliminar