quinta-feira, 3 de janeiro de 2013


O Amor é Fodido, foi o último livro que li. A Tereza tinha morrido há dez anos mas ele ainda não a tinha esquecido. A Tereza estava morta à tempo suficiente mas ele ainda vivia a pensar nela. É por isso que penso: será que existe amor eterno? Será que conseguimos amar uma pessoa para sempre mesmo que já não sejamos iluminados por ela? Ou que mesmo que essa pessoa não esteje  connosco teremos sempre algum brilho devido a ela? A Tereza no livro morreu e ele nunca a esqueceu. Continua a lembrar-se nela quando se embrulha noutras mulheres, continua a ouvir a voz dela quando lhe falam  e continua a vê-la mesmo quando a sua imagem já lhe fugiu à tanto tempo. A Tereza morreu é um fato. Mas será que, como na vida dele, existe sempre alguém na nossa vida que perdure mesmo quando algo acabou? Gostava de ter essa certeza relativamente a ti e acho que metade do mundo gostava de a ter também. Amar uma pessoa implica ficar com ela para sempre? Ou podemos esquecê-la ao amar-nos outra pessoa? A Tereza morreu mas continua viva. Mesmo passado dez anos da sua morte ainda é metade daquilo que ele é e faz parte de todas as atitudes que ele tem. Gostava de saber se um dia morrerei e se morrerás comigo também. Se um dia viverei, e se viverás comigo também.

Sem comentários:

Enviar um comentário