quarta-feira, 19 de março de 2014

Para a mulher da minha vida

É o vento que te traz... Nas ondas do mar que te encontro. Na brisa que escorre da minha alma quando penso na vontade de te ter no meu abraço que te vejo. São os sorrisos que te fazem viver... A vontade de te encontrar que me faz levar-me a ti. São os olhares da magia que a cor do sol trás que me lembram do que eras. Os olhares da magia que o amor que deixaste, quando partiram as veias do teu coração, que não me deixam esquecer-te. Sinto-te: em cada batida do meu coração. Abraço-te: em cada momento da minha vida. Vivo agarrada a ti porque sou feita de ti. E é no mundo que agora te vejo quando sei que nunca mais te conseguirei ver. A tua presença, a tua cor, o teu sorriso, a tua alma... Vivo-te. Partiste tão cedo da minha vida,  tão antes de eu conseguir transformar-me em ti que hoje, e primeiro de tudo, tenho orgulho de mim. Porque tiraram-te de mim, numa morte que te levou arrastada, sem o meu grito poder gritar mais alto. Porque levaram-te.... Para fora do meu alcance. Para longe do meu abraço. Do aperto da minha mão. Levaram-te mas eu não deixei que morresses. Morres-te mas eu nunca deixei que a tua luz se apagasse. Porque sei que quem está a escrever és tu, porque sei que és tu sempre que o vento me toca, sempre que as minhas lágrimas escorrem na cor quente e tenebrosa da minha pele. Tanto anos depois sou o orgulho de mim própria. Porque vives na algibeira de tudo o que sou, porque o teu nome dança na magia da minha fala, porque o som angelical da tua alma continua a viver no toque da minha mão, na ternura da minha voz, no estalar no meus sonhos... Morres-te. Mas não morres-te, será que entendes? Eu sou tu. Por isso tenho uma guerreira a viver na minha voz, a alugar o meu coração. És a mulher da minha vida, a minha Mãe, e nenhuma morte levará isso de mim. Eu sinto-te. Hoje estou aqui sentada perdida nas lágrimas que são feitas de ti e sinto-te. É sufocante... Às vezes sinto que sou a força de uma maré, que tenho  o poder de uma tempestade e penso que te irei agarrar mas não consigo...E dói. Porque só quem perdeu alguém  como tu sabe o que é perder o abraço que nos enchia a alma de força, esperança, carinho, ternura, garra... Mas no minuto a seguir encho-me de uma coragem inacreditável de me levantar e seguir a minha vida porque sei, instintivamente, que o abraço que agora me dás, agora que morres-te, está no meu coração. Que agora as palmas da tua mão passaram a ser as palmas da minha mão. Que agora o teu abraço passou a ser o meu próprio abraço. E amarro-me a mim... À certeza que nunca partirás. À certeza que jamais, algum dia, sairás do que sou porque eu nunca desistirei de ti. Porque isso indicaria que estava a desistir de mim. Sinto-te nas rajadas do vento, no cheiro a amora que paira no ar, em todas as mães que amam os seus filhos como tu me amas-te a mim. Sonho um dia ser mãe para agarrar a oportunidade que te tiraram das mãos e fazer jus à pessoa linda que um dia foste (e o és através de mim). Sou o meu orgulho. Mãe: sou o meu orgulho. Tu nunca morres-te. Eu estou a chorar só porque sinto saudades de ser a tua filha. Nunca deixarás de viver em mim... Infinitas: eu e tu. Para sempre e até sempre infinitas como a cor do céu... Nesse paraíso onde acredito que me olhas todos os dias. Vivendo os meus sonhos, alcançando as minhas metas. Lançando esta força que sinto todos os dias quando abro os olhos e vejo que tenho mais uma oportunidade de viver... Mais uma oportunidade de te sentir infinitamente

15 comentários:

  1. Prometo que amanhã te leio com atenção, a dor não me permite agora.
    Vinha só agradecer-te. Muito. Acredita que faço um esforço enorme para que a felicidade consiga ser maior que a dor mas ela vence-me sempre ... Infelizmente.

    ResponderEliminar
  2. ohhhhh minha querida muito muito obrigada mesmo! não imaginas como fico feliz por saber isso <3

    ResponderEliminar
  3. A minha dor é física. É dor de cabeça. Muito forte. Só isso, querida.

    ResponderEliminar
  4. "Tu nunca morres-te. Eu estou a chorar só porque sinto saudades de ser a tua filha. Nunca deixarás de viver em mim." isto tirou-me o fôlego e fez-me querer abraçar-te, fez-me querer dizer-te que agora não tens só a tua força dentro de ti: tens a tua e tens a dela! e talvez estas palavras tenham sido escritas pelas duas, sem que tenhas dado por isso. olha pequenina, toda a força do mundo e toda a coragem para ti. que nunca te esqueças disto mesmo, que nada morre dentro de nós, que a morte não nos ultrapassa, nós é que a ultrapassamos a ela!!

    ResponderEliminar
  5. Que nunca deixemos nada morrer dentro de nós enquanto estamos vivas, Mariana!!:)

    ResponderEliminar
  6. Compreender o quê, querida? Faz-me perguntas que eu respondo-te.
    "Sinto-te: em cada batida do meu coração. Abraço-te: em cada momento da minha vida. Vivo agarrada a ti porque sou feita de ti. E é no mundo que agora te vejo quando sei que nunca mais te conseguirei ver.", partiu cedo, cedo demais para ti, mas vive em ti. Vive contigo. Disso não duvido. Tem força.

    ResponderEliminar
  7. a mãe é todo um pilar . foste muito doce no comentário que deixas-te no meu recanto . obrigada ~~

    ResponderEliminar
  8. Meu deus Mariana. Meu deus. Também tenho orgulho em ti, sabes? Deste-me muita força com este texto, deste-me coragem de enfrentar os meus problemas e fazer da minha vida algo melhor e maior. Mariana, Mariana, nada do que te escreva vai servir para me expressar como desejo. Então mando-te um abraço. Não é o teu, não é o da tua mãe, mas é de alguém que te quer bem.

    ResponderEliminar
  9. este texto está qualquer coisa...a sério!

    ResponderEliminar
  10. Lindo. Vai viver sempre dentro de ti, tenho a certeza. Beijinho de força*

    ResponderEliminar
  11. tudo o que escreves é tão bonito, enche-me a alma e o coração de amor.

    ResponderEliminar
  12. Oh, obrigada pequenina! Só desejo que não fiquemos mais tempos parados num abismo sem fim. Que comecemos a escalada o quanto antes, para ver o sol nascer de novo!!:)

    ResponderEliminar
  13. Mariana, gostava muito que visses o desafio de que falo lá no meu blog. Se calhar vais gostar :)

    ResponderEliminar