quarta-feira, 29 de abril de 2015

Não existe maneira de controlarmos todos os passos do nosso coração. Dos nossos impulsos. Das nossas vontades. Das nossas histórias. Da nossa imaginação. Não há maneira de conseguir parar tudo aquilo que nos aparece sem ser convidado. Dos momentos em que estamos tristes sem saber bem porquê. Ou sabemos... Mas é difícil para nós aceitarmos que estamos no chão. Dos momentos em que a nossa imaginação começa a viver por nós. E nós deixamos... Porque estamos moles. Porque embora querermos contrariar o que nos afeta não temos força de agarrar no lixo que nos enche e deitá-lo fora. Porque há uma parte no ser humano que se gosta de ver em baixo. De chorar mais. Quando estamos verdadeiramente tristes gostamos de chorar. De pôr a música mais alta. De voltar a repeti-la, para poder sofrer outra vez. Porque nos liberta quando percebemos que o turbilhão acalmou. E é engraçada a maneira como consigo ser duas pessoas, falando nisto. A coragem e a descolagem. A luta e a pausa. A alegria e a tristeza. Hoje, por exemplo, deixei-me afetar sei lá eu porquê. Mas derreti. Porque o meu coração é meu maior segredo, acho. Porque o coração é o maior segredo de toda a gente, penso. E entristeci. E senti saudades. E duvidei de tudo. E apeteceu-me chorar mais. Ligar a quem mais amo. Ser abraçada por quem mais sinto. Mas não fiz nada disso. Porque há momentos que têm de ser só nossos. E destes sei que são meus. Que os preciso para no momento a seguir saber que não é disso que necessito. Para saber que sou mais que tristeza. Mais que a solidão que às vezes nos apoquenta mesmo quando estamos rodeados de amor. O ser humano é frágil. Mesmo que seja a rocha mais forte e avantajada do mundo. E aperceber-mo-nos que estar triste faz parte do nosso caminho, do não conseguir controlar tudo o que nos impulsa na vida, faz bem. Ao corpo. À mente. À paz. Estar em baixo vai fazer sempre parte do caminho para sermos o melhor que somos. Hoje derreti... Mas agora que me levantei do silêncio amargo sei que não o mereço. Que sou melhor. Mais feliz do que isso. Viver nunca será um processo fácil... Mas sem dúvida que será a melhor maneira de descobrirmos quem somos.

3 comentários:

  1. aquela imagem diz muito sobre mim. gostava de pensar menos no que os outros pensam acerca de mim, seria mais saudável. enfim, há coisas que só podem mudar com o tempo.
    és uma querida, Mariana. tens um coração de ouro, disso estou certa. :)

    ResponderEliminar
  2. Viver é sentir tudo à flor da pele e, ainda assim, aceitar que aquilo nos acontece nos ajudará a crescer.

    ResponderEliminar
  3. Vamos ter sempre momentos de mais sofrimento, de solidão, onde vamos de duvidar de tudo principalmente de nós, onde teremos de lidar com os monstros da nossa cabeça sozinhas porque só assim os conseguiremos derrotar ou pelo menos enfraquecer. Mas quando superamos esses momentos parece que nos apaixonamos ainda mais pela pessoa que somos :)

    ResponderEliminar

Até Já

A minha foto
Amor, saudade, dor, ausência, paixão...