terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Adoro-te todos os dias. Num amor que engloba e ultrapassa todas as fronteiras que o ser humano sente, toca e produz. Numa paz que me faz querer com que sejas o ar que corre nos meus pulmões e o sangue que permeia o meu coração. Adoro-te todos os dias. Sempre que percorres o meu corpo, que o admiras, o sentes e o transformas. Sempre que é o teu sorriso ou os teus disparates. Sempre que são as tuas gargalhadas e os teus amuos. Adoro-te ainda quando nem te lembras o quanto te adoro e te apercebes. Quer seja no silêncio da noite quer rodeados da maior multidão de pessoas. Os momentos que não se falam… Mas que existem. Aqueles que vivem dentro do que mais quero ser na vida. Aqueles que me ligam tão bem a ti. Desde o primeiro segundo em que me apaixonei por ti. E digo-te já que foram tantos. Continuam a ser tantos. Por não saber o porquê nem como continuo sempre um bocadinho mais tua. Por todos os tempos que passam. Por todas as luzes que iluminas em mim. Dás-me a força para entender o que a vida dá aos poucos: liberdade, maturidade, respeito, escolha. A força para entender o que a vida nos tira tão depressa se a deixarmos.
Sei que hoje sou o que quero ser. Que admiro a mulher que me tornei, muito por me teres posto à prova. Sei que hoje sou o que quero ser, independentemente de tudo, contigo. Numa vida que sei que nos espera para saltarmos, dançarmos, caminharmos e pularmos em todas as histórias que cruzaremos. Sei que hoje sou o que quero: por me ver feliz a escrever-te mais uma das cartas a que te habituei. E continuo, continuarei a escrevê-las porque há uma magia que é impossível interceptar sem ser nas palavras. No impossível que me fazes sentir e se torna verdadeiro mas invisível nas palavras para quem não sente.
És o meu coração. Com toda a certeza que nascemos para cruzarmos o caminho um do outro. Com toda a convicção que eu e tu é a coisa mais certa que sinto, tenho e produzo.
Adoro-te todos os dias. E ainda mais por me adorares tão bem. E ainda mais por tantas coisas.  A principal razão é a de me fazeres feliz. Por cuidares de mim. Por abraçares o que sou. Por não duvidares do que sinto, penso e escrevo. Por acompanhares os meus passos. Por passeares os meus sonhos. Por nunca abandonares o que sou dentro de ti. Por saberes tratar do que sou quando não o sou. Adoro-te ainda mais por não ser tudo claro. Também temos escuros. Por ultrapassarmos isso tudo. Por dizermos adeus a todas as vezes que não estamos de acordo e isso é um conflito. A todas as vezes em que eu sou a chata e tu o senhor da razão. Adoro-te à mesma. Por encontramos equilíbrio na bagunça que às vezes é a nossa vida. 

Sei que és o meu futuro escrito de todas as formas. Que o meu coração ter-te-á sem medida para sempre. Que o meu sorriso nunca mais sorrirá ser tem o que és nos seus caminhos e feitios.
Adoro-te muito até amar-te por completo.

Num amor que engloba e ultrapassa todas as fronteiras que o ser humano sente, toca e produz. Numa paz que me faz querer com que sejas o ar que corre nos meus pulmões e o sangue que permeia o meu coração…

3 comentários:

Até Já

A minha foto
Amor, saudade, dor, ausência, paixão...