segunda-feira, 24 de outubro de 2016


O tempo passa mas tu ficas.

Abraço-te o tempo inteiro. E é tão bom quando te abraço de verdade.  Quando percorro os caminhos que as histórias que criaste deixaram em ti. Quando te toco. Me toco. Me sinto inteira. Como um pedaço partido em mil peças para que me possas juntar. Para que possas fazer de mim um pedaço inteiro. Junto do teu. 

Estás comigo o tempo inteiro. Até as fracções de segundos que deixamos escapar. Essas que o vento leva sem perguntar. Aquelas que o tempo pede para ficarem, mas não ouvimos. Preciso de ti, a tempo inteiro. E tenho-te, por inteiro. No maior dos significados da palavra. No sentido mais intemporal, com o sentimento mais poderoso. Assim como te sinto. Sempre que respiro, que acordo, que adormeço, que penso, que corro, que canto, que escrevo, que passeio, que sonho. Sei que te amo, por inteiro. Que nenhuma peça falta à ligação que nos une. Ao sabor que nos enreda nas noites quentes. À paz que me devolves quando está tudo frio. Ao sorriso que me aconchegas quando as marés atropelam a nossa calma. Quando as tempestades nos impõem dor, mágoa e tristeza. Sei que nunca me sinto vazia. Que tenho em mim o essencial para puder gritar o teu nome até em silêncio.  Para até em silêncio me conseguires ouvir.

Sei que me devolves o tempo. Que não deixamos que a vida morra. Que nunca deixaremos isso acontecer.

Por isso sei, para além de te ter por inteiro, que nos tenho por inteiro. Que nos temos. Fica gravado todos os dias, na marca que o nosso sorriso deixa um no outro. Na certezas que não precisamos de certezas. Que somos instantes permanentes. Que a vida toca-nos, por inteiro. Que o tempo passa, por inteiro. Que nenhum dos dois foge... Sem antes juntar todos os pedaços. 

Amo-te. Por todo o tempo que passe. 
Por todo aquele que sei que nunca abandonarás.... Que nunca abandonaremos....

Sem comentários:

Enviar um comentário

Até Já

A minha foto
Amor, saudade, dor, ausência, paixão...