terça-feira, 19 de junho de 2012

Bate-me o calor no peito, mas tudo gela. A brisa gela, o sol não faz calor, o sorriso não mexe o lábio. Bate o calor no peito mas tudo gela. Queria tornar tudo diferente. Ser um lado diferente. Adormecer para um lado difirente. Mas bate o calor no peito e tudo gela. Repito para mim, baixinho, "quem me dera um dia saber ser sol".

Sem comentários:

Enviar um comentário