sábado, 30 de junho de 2012

Tenho sonhos e depois tenho-te a ti. Neste momento em que não me apetece dizer o teu nome e em que olhas para mim como se fosse eu quem agarra o teu coração quero que saibas que tenho sonhos e, depois, tenho-te a ti. Que, depois de todos os desejos juntos numa tigela de esperanças e vaidades, apareces sempre tu para me fazer sempre mais e mais feliz. Outro dia disseram-me que o amor não se consegue ver... Que o amor não se escreve. Que o amor só se sente. Mas depois venho cá, onde o amor perto de ti é tudo o que sou eu e tu, onde me perco numa atmosfera que criamos quando as nossas almas se fundem e formam estrelas que dão luz à mais profunda galáxia, e não consigo ver onde essas pessoas têm razão. Onde é que elas estão certas, onde é que existe algum fundamento em que o amor não se escreve quando escrevo para ti e só vejo isso, se existe algum fundamento sobre o amor que não se consegue ver e eu olho para ti e só vejo isso, se existe algum fundamento em dizer que o amor só se sente quando eu o sinto, mas vejo-o e escrevo-o, e acaricio-o ao mesmo tempo quando vivo contigo. Neste momento em que não me apetece dizer o teu nome porque viver o silêncio contigo também é viver o amor quero dizer a toda a gente que tenho magia dentro de mim. Que, quando olho para ti, me perco em sabores que o mundo não experimenta quando não ama, que o mundo não saboreia quando não sabe o que é sermos de alguém sem sermos nossos. Neste momento, em que me sinto demasiadamente apaixonada e desenfreadamente louca por ti, quero dizer a toda a gente que descobri o que é ter sonhos e, depois, ter-te a ti. Que descobri que os sonhos à beira de um grande amor são pequenas estrelas num céu tão grande como o nosso. Que descobri que o amor não é um sonho e que vivê-lo sabe melhor do que sonhá-lo. Que o amor não é miragem e que saboreá-lo consiste em muito mais do que apenas senti-lo. Que existe muito mais para além das barreiras da paixão, que existe muito mais para além dos laços de amizade. Que existem sonhos, realmente. Mas que depois desses existem pessoas como tu na minha vida na vida de outros assim que nos fazem muito mais do que sonhar. Nos fazem apaixonar.... Algo que nos faz ganhar a vida... AMAR.

13 comentários:

  1. A forma como o teu texto me prendeu a ele proprio a a esse teu grande sentimento...bem, derreteu-me, fez-me apaixonar por esse bonito sentimento!
    GOSTEI e os meus parabens! **

    Sabes? Aqui deixo um beijinho, desta tua nova amiga e seguidora, que espera a tua leitura e opinião e o mesmo de ti no seu espaço,
    Pensando com Arte.

    P.S: não tenho conseguido seguir, mas logo que consiga digo qualquer coisa.

    ResponderEliminar
  2. O amor escreve-se sim senhora, e uma prova disso é este texto!
    está magnífico - "descobri que o amor não é um sonho e que vivê-lo sabe melhor do que sonhá-lo"!

    ResponderEliminar
  3. Tu és a Mariana do blog "Até já", não és? Tenho quase a certeza que sim, a tua escrita não engana. É perfeita!

    ResponderEliminar
  4. o amor é algo para ser sentido não proferido e traduzido por forma de palavras. é um sentimento único e existem muitas formas de ver o mesmo :) gostei muito e és sempre bem vinda ao meu cantinho mesmo que eu mesma não seja a leitora/escritora mais assídua.*

    ResponderEliminar
  5. este texto está maravilhoso, escreves tão bem mas tão bem e obrigada, ainda bem que gostaste doce :)

    ResponderEliminar
  6. "E é bom existir apenas por palavras" é tão bom ler-te aqui neste espaço,nunca deixes de escrever. tens uma escrita inconfundível

    ResponderEliminar
  7. Ainda bem que te encontrei. Vou já, já, seguir-te.

    ResponderEliminar
  8. Tiras-me as palavras da boca! Adoro Marianinha <3

    ResponderEliminar
  9. É triste mesmo, querida. Oh, tenho andado tão ausente, sem tempo e sem inspiração.

    ResponderEliminar
  10. Como gosto do que escreves, querida Mariana :)

    ResponderEliminar
  11. Espero por um texto teu, já tenho saudades!

    ResponderEliminar