terça-feira, 10 de julho de 2012


Às vezes amamo-nos. Mesmo sem sabermos. Mesmo sem o mundo descobrir. Às vezes somos de nós os dois e ninguém sabe em que mundo pisamos quando pertencemos ao mesmo sonho. Noutras vezes desaparecemos para sermos um do outro. Num campo dos nossos corpos amamo-nos... intensos de desejo e envoltos de paixão que nos derrete a alma para nos estendermos nos centímetros de pele que cada um transpira por amor e sou tua como te sinto meu. Dados à força de nós mesmos caímos numa barreira em que o mundo é invisível e nós somos da cor do céu. Eternos como a cor do céu... Perdidamente juntos e perdidos um no outro como as nuvens penetram e são do céu.... Em tempos, também, somos de ninguém. Navegamos sem saber por onde. Apaixonamo-nos ainda mais sem saber porquê. Deixamo-nos do mundo, despedi-mo-nos da terra e entramos onde ninguém entra sem amar, onde ninguém entra quando não é de alguém, onde ninguém é feliz porque nunca foi a pele de outro corpo, o sorriso de outra alma, o coração de outro coração. Às vezes, até,  por entre desejos e amores que gritam mais alto que nós e do que o céu, amamo-nos, demasiadamente tanto, que nos perdemos de todos e é isto que quero que entendas sem eu dizer: quanto mais nos perdemos mais ninguém sabe de nós e mais eu em ti e tu em mim somos de nós. É isto que eu te quero dizer, agora que somos somente aquilo que as nuvens são quando fazem amor com o céu: quanto mais somos de ninguém mais somos de nós e por isso nos amamos sem saber numa paixão que parece infinita e tem a cor do céu... E que por isso nos amamos sem cor mesmo sermos azuis... E que por isso nos amamos invisivelmente mesmo sabendo onde está cada um de nós...E que por isso nos amamos, somente por isso... Vivendo na terra para amar no céu.

15 comentários:

  1. começamos um texto em tom melancólico e terminamo-lo com um sorriso no rosto. és tão bonita. acho que nunca to disse, mas tu fazes-me acreditar no amor. fazes-me acreditar que existe sempre alguém para nós, um coração tão cheio como o nosso, ou tão despedaçado, que se unirá à nossa alma. sim, dás-me esperança, mesmo quando tudo se pinta de cinzento.

    ResponderEliminar
  2. "vivemos na terra para amar no céu." e que mais poderia eu acrescentar? conheces o segredo para aquecer corações. o teu é de mel, sempre tão doce.

    ResponderEliminar
  3. isso é verdade.. tens uma escrita tão bonita :')

    ResponderEliminar
  4. A tua escrita é tão cheia de amor. Tão cheia de palavras doces, como se nos aconchegasses.

    ResponderEliminar
  5. Que texto cheio de tudo, cheio de ternura e de amor, que texto...tu ama-lo espero que ele te ame tanto quanto tu
    pois se ele te amar assim, vocês são o céu mais azul que já vi.
    Beijinhos de quem espera sempre a tua leitura e opinião,
    Pensando com Arte.

    ResponderEliminar
  6. Eu fico sempre sem palavras, Marianinha. És adorável, já to disse?

    ResponderEliminar
  7. oh querida é isso mesmo. o amor é mesmo assim para quem sabe o que isso é.

    ResponderEliminar
  8. só falta um pedacinho de brilho. encontro-o sempre que cá venho, sabes? adoro visitar-te, Mariana bonita.

    ResponderEliminar
  9. Quando estamos apaixonadas as palavras são mais doces, são cheias de Amor. Mesmo que não acreditemos nele.

    ResponderEliminar

Até Já

A minha foto
Amor, saudade, dor, ausência, paixão...