terça-feira, 15 de janeiro de 2013


Voltei a lembrar-me de ti. Banal, dizem por aí... Mas voltei a lembrar-me de ti. Voltei a escrever para ti. Banal, dizem por aí... Mas custa aperceber-me que ainda me vou lembrando de ti. Que ainda volto a escrever para ti. Custa aperceber-me que acabo por voltar a ti quando começo a escrever e só saem capítulos do que eras ou do que és, não sei. Mesmo que só fale de mim, estás lá tu... Mesmo que só fale de mim, não te consigo esconder... E hoje a primeira coisa que escrevi foi "Voltei a lembrei-me de ti" como se a tempestade que eras em mim continuasse o som da tua trovoada dentro das paredes do meu coração. Eu não te amo. Mas ainda sofro por estares longe de mim... Eu não te amo. Mas ainda sofro por saber que do amor ficaram as saudades de amar... Eu não te amo... Mas amo-me a mim e tu estás dentro do que sou. Faço para não me lembrar de ti, conheço o mundo e sou feliz mas volto ao que és na tua inteira forma... Volto ao que és quando me lembro que um dia também te conheci a ti como conheco pessoas agora e um dia já fui feliz contigo como sou ao conhecer pessoas agora. O fato de estar a seguir com a minha vida tão bem é deslumbrante... O fato de ser dona do que sou sem medo de o parecer é fantasmagoricamente fantastico. Mas a verdade é que estou a escrever e sais-me tu. De dentro de mim sai a saudade que tenho de arder no teu corpo, a ânsia de despojar em ti o fogo que arde nas paredes daquilo que sou... A verdade é que estou a escrever e tudo o que penso é nas vezes em que eras tu o livro por onde as letras do desejo e da paixão e do amor  que sentia passeavam e penetravam.... Volto a lembrar-me de ti e não existe uma só célula do meu corpo que não queira voar para fora de mim. Volto a lembrar-me de ti e sinto-me acesa, com vontade de correr mas de assentar em ti, com vontade de fugir mas encontrar-me em ti, com vontade de amar mas de não te amar a ti... Eu não te amo. Juro que estou a esquecer o que és. Mas não há um dia que lá no fundo não sinta saudades tuas e que lembre, nos vazios das horas, que nunca se consegue amar uma pessoa tanto quanto se sente a falta dela... Eu não te amo. Eu gosto de ti. Eu não te amo porque eu sei que sem ti sou mais feliz... Mas nenhuma lei que protege as almas do mundo nos afasta da saudade de querer alguém. Da saudade de desejar alguém... Da vontade de segurar alguém no coração... Não há nenhuma lei que nos faça desistir da vontade de voar com o amor... Eu não te amo. Escrevo para me acreditar nisso. Eu não amo mas sinto falta. Eu não sinto mas tenho saudades. Custa aperceber-me que mesmo sem ti, em todo o lado, me volte a lembrar do que és. Eu não te amo mas sinto tanto a tua falta que quase volto a acreditar nisso. Eras o meu menino que se tornou um desconhecido. De quem eu já não sentia falta porque não se aguenta muito tempo amar alguma coisa que mudou tanto para nós. Só que ainda hoje desejava estar nos teus braços... Quero acreditar que o amor não anda em mim. Quero acreditar que ficou apenas a saudade. Quero acreditar que tudo isto que sinto são saudades dos tempos em que fui muito feliz e não saudades de ti. Quero acreditar que amanhã não te lembrarei. Quero acreditar... Em tanta coisa. Só que esqueço-me sempre que não chega acreditar para se deixar de amar... Recuso-me a dizer que te amo porque fui eu que te deixei. Recuso-me a dizer que te amo mas é tão mentira que me custa saber que andei enganada este tempo todo... Recuso-me a dizer que te amo...  Mas é tão mentira que em todas as palavras que releio de ti, só neste pequenino monte de palavras que te deixei, não consigo acreditar em mim.... Vou continuar a dizer que tenho apenas saudades tuas. É que há pessoas que não sabem que é na saudade que reside o amor.

7 comentários:

  1. não imaginas as saudades que tinha de te ler.

    ResponderEliminar
  2. faço da cath as minhas palavras,já tinha tantas saudades das tuas palavras.não há iguais.

    ResponderEliminar
  3. oh Mariana, não imaginas a curiosidade que nutro pela tua pessoa. será que te posso encontrar num outro espacinho (twitter, facebook, tumblr)? e estás a estudar o quê? :3
    (desculpa as perguntas, podem ter soado mal, mas eu gosto mesmo do que leio e sei que és uma pessoa bonita, daí querer conhecer-te melhor.)
    um beijinho em forma de coração :)

    ResponderEliminar
  4. mais que ninguém, gosto de te ter por aqui. porque sinto-te as saudades, porque te li desde muito cedo. porque temos coisas em comum, sinto-o. e quando escrevias para a tua mummy, eu sentia ainda mais isso. e és linda, mariana! e não consigo dizer-te mais nada, simplesmente que sempre gostei de ti.

    ResponderEliminar
  5. és uma pessoa maravilhosa, Mariana <3

    ResponderEliminar
  6. então é um segredo bem escondido, não? é bonito, pelo menos guardas algo de precioso contigo.
    já te encontrei no facebook, e sabes que mais? fiquei espantada, o mundo é mesmo pequeno. eu também estudo no Porto, na FLUP, mas sou de Penafiel. conheço Braga e até entrei lá na 1ª fase, mas depois mudei-me. estamos tão perto, quem diria :')

    ResponderEliminar
  7. sabe tão bem ler-te. ler o teu coração e a tua alma!

    ResponderEliminar

Até Já

A minha foto
Amor, saudade, dor, ausência, paixão...