segunda-feira, 4 de maio de 2015

Uma guerreira como tu

És enorme. Do tamanho do mundo. Não apenas a minha Mãe. A minha melhor amiga. Do tamanho do meu amor és feita e por isso te chamo infinita. Do tamanho do meu sorriso vives por isso digo que viverás eternamente. Costuma-se dizer que as pessoas são do tamanho daquilo que produzem em nós.  Dos sentimentos que nos alcançam. Dos sorrisos que nos arrancam. E tu és gigante. Por teres sido tudo o que foste e por, mesmo não estando cá, continuares a dançar por entre os passos da minha vida. A ensinar-me que não preciso que estejas cá para te ver. Para te sentir. Para dançar contigo. Para escrever sobre ti. Para ensinar aos outros que conseguimos suportar as piores dores do mundo... Para ensinar que do maior castigo não vem implicitamente tudo mau para sempre mau. Que quem sabe o que é estar em baixo não precisa de ficar muito tempo a viver por lá. Porque se descobre que a luz, mesmo sendo ela às vezes invisível, está sempre em todos os lugares há nossa espera. Há espera dos nossos sorrisos abertos. Mesmo que magoados. Só que prontos para alcançar um mundo melhor. E tu és gigante por me teres feito perceber isso desde pequenina. Por me teres feito viver mesmo depois da tua morte. Infinita. Tu com esses cabelos de mel que ainda fazem com que sinta que te sentas do meu lado. Mãe. Obrigada por me fazeres uma guerreira como tu. Por teres garantido que o meu coração seria eternamente teu. Vivo com saudade. Sempre na algibeira de tudo o que sou. Mas vivo feliz. Eternamente feliz por saber que falas sempre que falo. Que sorris sempre que sorrio. Que abraças sempre que abraço. Vivo com saudade. Às vezes de queimar o coração. Mas em paz por saber que estou contigo. De alma leve e embebida de ternura por saber que voas no meu céu e nasces nas minhas raízes. Dizem que as pessoas são do tamanho daquilo que produzem em nós. Das memórias que são criadas por sua devida causa. Dos sentimentos que nos alcançam. Do tamanho dos sonhos que nos conseguem entregar. Por isso e por muito mais sei que não és apenas a minha Mãe. Sei que és o que sou. A Mariana que passa e que sorri. A Mariana Maria que sonha escrever-te para o resto da sua vida. A Mariana que sonha em te dar a conhecer ao mundo. Para que nunca sejas esquecida. Para que toda a gente saiba a guerreira que foste que és e que sempre serás. A minha guerreira. A Mãe que me deu a vida. A mim e a mais duas flores. Enorme. Do tamanho do mundo. Não apenas a minha Mãe: a minha melhor amiga.

7 comentários:

  1. Tudo aquilo que ela foi continuará a sê-lo, porque permanecerá sempre em ti.
    Fico sempre emocionada ao ler o que escreves!

    r: Pode mesmo, concordo :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. ainda bem que gostaste, se uma dia precisares de ajuda FREE no teu cantinho já sabes eheh , mega beijo*

    ResponderEliminar
  3. As pessoas deixam-nos, partem para um outro mundo, uma outra dimensão que nem sequer sabemos se realmente existe. Porém, mesmo que não exista elas continuam a viver dentro de cada pessoa que tocaram em vida porque o amor é assim, nem com a morte se quebra :)

    ResponderEliminar
  4. Vou ter que comentar outra vez. Já é a terceira vez que leio este texto... e algo me diz que não vou ficar por aqui. És a melhor escritora que o meu coração conhece.

    ResponderEliminar
  5. Sempre que escreves para a tua mãe o teu lado mais doce revela-se por completo. Tens-lhe o maior amor do mundo. E isso é lindo!

    ResponderEliminar