sexta-feira, 26 de junho de 2015

Sei que estou entregue, bem entregue, quando depois de nada sentir passar a sentir tudo. No teu abraço. Sei que estou entregue, bem entregue, quando as lágrimas que escorrem começam a deixar de ser lágrimas e a transformar-me num coração mais leve. Sei que estou entregue quando escrevo da entrega que é viver com o coração cheio. De amor. De amizade. De força. De esperança. Quando escrevo da entrega que é viver ao lado de alguém que nos entrega à vida da melhor maneira possível, aos nossos olhos. Da entrega que é viver sem medo de sofrer porque haverá sempre mais um horizonte onde o meu abraço terá lugar. Esse lugar que me transforma sempre que o encontro. Sempre que preciso de baterias. Sempre que não preciso. Sempre que sinto saudades por estares tão perto de mim. Sei que estou entregue a um amor como o meu. Que ama em todas as noites. Mesmo quando parece não amar. Que estou entregue, sem ser preciso de nenhuma receita, à melhor ementa diária do mundo: aquela que nos faz adormecer com o coração e não com a barriga cheia. Que nos faz acordar com a maior fome de viver. A maior vontade de sermos mais vontade ainda. Sei que estou entregue. Bem entregue. Ao melhor abraço do mundo. Aquele que nos dá o calor que precisamos para continuar a conquistar as batalhas da nossa vida. Aquele que nos dá a hipótese de sermos mais do que nós mesmos. De sermos quem somos quando estamos ao lado de alguém. Que é ser tanto. Ao lado de alguém que amamos. Que protegemos. Que nos protege. Que ajudamos. Que nos ajuda. Que nos empurra quando a vida precisa de mais um salto. Que nos aconchega quando a queda foi bruta demais. Sei que estou bem entregue. A um amor que preenche o brilho dos meus olhos. À maresia com que pinto a minha alma. Ao cheiro que encanta o ambiente das flores do meu jardim. Sei que estou entregue. A uma entrega com o teu nome, o teu cheiro, a tua forma, o teu abraço. A uma entrega com o nome das nossas almas gravadas. Ao nó que demos quando permitimos que os nossos corações fossem nossos, e não de cada um de nós. Sei que estou entregue. 
Às vezes nada melhor do que adormecer com a paz de sabermos que pertencemos à pessoa certa...

6 comentários:

  1. É um sentimento de paz e protecção que não se consegue de outra forma a não ser com a pessoa certa do nosso lado :)

    ResponderEliminar
  2. É maravilhoso sentirmo-nos entregues à pessoa certa. Acalma-nos. Deixa-nos seguros. Retira-nos qualquer peso que possa ferir o coração. Porque mesmo nos dias maus, naqueles que nos desgastam e quase nos atiram ou chão (ou atiram mesmo), sabemos que há ali um abraço que nos ampara, nos permite recompor e levantar com mais força.

    ResponderEliminar
  3. Continuo a manter a esperança de um dia conseguir sentir isso. És tu que ma transmites, Mariana!

    ResponderEliminar
  4. É bom ter alguém em quem confiar esse carinho todo, tu mereces miúda! :)

    ResponderEliminar
  5. Que texto lindo, e essa entrega assim pura e simples mas complexa é a melhor sensação do mundo (:

    ResponderEliminar
  6. Deambulei por aqui.

    E, desejo FELICIDADES.

    ResponderEliminar